Como usar comutadores no TestStand

Visão geral

Há várias maneiras de integrar operações de comutação em suas sequências do TestStand. Aqui discutimos diferentes métodos de controle de comutadores com o TestStand, assim como algumas orientações que irão lhe ajudar a escolher o método a ser utilizado.

Conteúdo

Módulo de código

Um módulo de código é um módulo de programa, como uma biblioteca de links dinâmicos do Microsoft Windows ou VI do LabVIEW que contém uma ou mais funções que realizam um teste específico ou outra ação.  Você pode criar um módulo de código em diversos ambientes de programação que possuam operações de comutação que, por sua vez, podem ser chamadas a partir do TestStand.  



Figura 1: Inserção de um novo passo a partir de Insertion Palette


Figura 2: Especificação do módulo de código a ser executado na guia Module de Step Settings

Controle de comutadores da NI a partir dos módulos de código

Você pode criar módulos de código para controlar módulos de comutação da NI usando o NI-Switch API ou o DAQmx Switch API.  Veja as diferenças entre esses dois APIs em:
KnowledgeBase 43CFNUAY: Differences Between the NI-SWITCH and NI-DAQmx Switch APIs for Switch Applications


Figura 3: DAQmx Switch API no LabVIEW

 


Figura 4: NI-Switch API no LabVIEW

Controle de comutadores de outros fornecedores a partir de módulos de código

Para controlar comutadores de outros fornecedores, você pode criar módulos de código que contêm chamados às funções de driver de instrumento de seu comutador.  Veja na Instrument Driver Network, em www.ni.com/idnet, mais informações sobre drivers de instrumento e sobre como encontrar e baixar drivers de instrumento compatíveis com o software da NI.  

Padrão IVI e o Switch Executive

Se o seu módulo de comutação for compatível com IVI, você poderá criar módulos de código com chamados ao IVI Switch Class Driver.  Todos os módulos de comutação da NI são compatíveis com IVI  Veja mais informações sobre o padrão IVI em www.ni.com/ivi.

Nota: Você precisa usar o driver específico do instrumento para chamar funções de driver não suportadas pelo IVI Switch Class Driver, trabalhar com instrumentos que não estejam em conformidade com a classe IVI ou quando não houver um driver IVI para seu instrumento.  

Além de usar o IVI Switch Class Driver, se seu hardware de comutação for compatível com IVI, ele poderá ser programado pelo Switch Executive API da NI.  Veja mais informações sobre o Switch Executive em:
Tutorial da Developer Zone: What Is NI Switch Executive?

Figura 5: Switch Executive API

Passo de comutador IVI

O passo de comutador IVI oferece uma camada de programação de alto nível para instrumentos compatíveis com os dispositivos virtuais IVI Switch Class e NI Switch Executive.  O passo de comutador IVI pode ser incluído a partir da paleta Insertion.

Figura 6: Como incluir um passo de comutador IVI


Clique no botão Edit Switch, na guia Switch da caixa de diálogo Step Settings.


Figura 7: Clique no botão "Edit Switch..." da guia Switch.  


O passo de comutador IVI pode utilizar também os dois modos abaixo:

Ο IVI Switching
Ο Switch Executive

O modo selecionado determinará as operações disponíveis quando você for usar o passo de comutador IVI.

Modo IVI Switching

O modo IVI Switching permite que você utilize drivers de comutação compatíveis com o IVI para controlar comutadores da NI e de outros fornecedores.  Você pode usar os percursos e rotas de conexão e desconexão desse modo para determinar a conectividade de dois comutadores ou o estado de uma rota, além de consultar o estado do módulo de comutação ou dispositivo virtual.  Veja mais informações sobre as operações que podem ser utilizadas com o passo de comutador IVI: modo IVI Switching em:
NI TestStand 4.2 Help: Edit IVI Switch Step Dialog Box - IVI Switching Mode


Figura 8: Passo de comutador IVI: modo IVI Switching

Modo Switch Executive 

O Switch Executive é uma aplicação inteligente de gerenciamento e roteamento de comutadores implementada no topo do IVI.  O Switch Executive permite a você criar um dispositivo virtual do Switch Executive pré-configurado que pode conter um ou mais módulos de comutação compatíveis com IVI.  Além disso, você pode criar codinomes de canais e configurar rotas de ponto a ponto graficamente (mesmo através de vários comutadores) em um ambiente de "apontar e clicar".  Veja mais informações sobre os recursos do Switch Executive em:
Tutorial do Developer Zone: What Is NI Switch Executive?

A compra e instalação do software Switch Executive permite que você utilize o modo Switch Executive do passo de comutador IVI.  Na caixa de diálogo Edit IVI Switch Step, você pode selecionar um NI Switch Executive Virtual Device pré-configurado para conectar e desconectar rotas/grupos de rotas criados para o seu sistema de comutação.  Além disso, você pode especificar se quer que a rota exista até uma desconexão manual posterior ou até a conclusão de uma parada, sequência, thread ou execução.
Nota: Veja mais informações sobre as operações que podem ser utilizadas com o passo de comutador IVI: modo Switch Executive, em:
NI TestStand 4.2 Help: Edit IVI Switch Step Dialog Box - Switch Executive Mode


Figura 9: Passo de comutador IVI: modo Switch Executive

Switch Executive - Propriedades de comutação do passo

Além do modo Switch Executive do passo de comutador IVI, a aquisição e instalação do Switch Executive permite que você realize ações de comutação na execução de um passo.  Você pode configurar as ações de comutação no painel Switching da guia Properties da janela Step Settings.


Figura 10: Inserção de um passo a partir da paleta Insertion  No painel Switching, na guia Properties da janela Step Settings.

 

Opções recomendadas, em ordem de preferência

Conforme discutido neste documento, há diversas opções disponíveis para o controle de comutadores pelo TestStand.  A próxima seção descreve as vantagens e desvantagens de cada uma delas.  

1. Módulo de código

Escrever sequências de teste que executam operações de comutação a partir de módulos de código é o método recomendado para o controle de comutadores a partir do TestStand.  Essa opção é a abordagem mais modular, pois os desenvolvedores dos testes podem modificar o código que executa as operações de comutação quase sem afetar o restante da sequência de teste.  Usando o driver específico do instrumento ou o Switch Executive API em módulos de código dá acesso a sessões de IVI de baixo nível e a funções adicionais, não apresentadas por outras opções.  Use o Switch Executive para simplificar e agilizar a configuração e controle de seus comutadores compatíveis com IVI.

Nota: O Switch Executive API requer a aquisição e instalação do software Switch Executive.

O uso desse método tem a potencial desvantagem de aumentar a probabilidade de erro do usuário.  Os desenvolvedores de testes devem estar familiarizados com o driver do instrumento ou com o Switch Executive API e garantir que implementarão uma arquitetura adequada para o sistema de teste para criar sequências de teste de fácil manutenção e ampliação.  Por exemplo, o niSE Connect e Disconnect devem ser usados para reduzir o tempo de comutação e aumentar a vida útil do dispositivo em sistemas de teste automatizado.


Figura 11: Use o niSE Connect and Disconnect.vi para especificar as rotas/grupos de rotas que serão controladas pelos módulos de código  

2. Propriedades de comutação do passo 

A instalação do Switch Executive oferece aos desenvolvedores de testes a possibilidade de incluir funções de comutação em qualquer passo de uma sequência do TestStand, usando propriedades de comutação.  Uma vantagem clara das propriedades de comutação é o reaproveitamento de código.  Por exemplo, imagine que você tem um teste que exige a conexão de diversas rotas.  Se esse teste for executado em várias rotinas de teste diferentes, você só terá de criar um template do passo e reaproveitar esse passo em outra sequência.  Todas as propriedades incluídas no passo (inclusive a comutação) são incluídas no template do passo.  Para incluir um passo na lista de Templates, simplesmente arraste o passo do painel Steps e o coloque na lista Template.  


Figura 12: A lista Templates é parte do painel Insertion Palette.  Arrastando e soltando um passo do painel Steps na lista Templates, você poderá reaproveitar o passo em outra sequência.


Veja mais informações sobre a lista Templates do TestStand em:
NI TestStand 4.2 Help: Insertion Palette Pane

Uma potencial desvantagem do uso das propriedades de comutação é a menor facilidade de leitura da sequência do teste.  Quando for utilizar uma propriedade de comutação, não deixe de documentar suas sequências do TestStand.  Quando é feita uma modificação nas propriedades do passo a partir do comportamento padrão, o TestStand documenta automaticamente essa mudança do painel Steps.  Por exemplo, se você habilita a comutação em um passo Action do LabVIEW, o TestStand colocará Switch na categoria Settings do passo, no painel Steps.


Figura 13: Enable Switching foi marcado para esse passo Action do LabVIEW.  Observe que o TestStand inseriu automaticamente Switch na categoria Settings para o passo Action no painel Steps.



Você pode também documentar suas sequências usando o campo Comment e os passos Label.

Figura 14: Introduza comentários sobre a configuração dos passos no campo Comment no painel General da guia Properties.



Figura 15: Na documentação do passo, inclua o passo e os comentários do Label anterior (aparecem acima do nome do passo)

Passo de comutador IVI: modo Switch Executive

O passo de comutador IVI no modo Switch Executive tem funções bastante similares às das propriedades de comutação do passo.  Uma vantagem que o passo de comutador IVI tem sobre as propriedades de comutação é a capacidade de encontrar rotas e determinar se o dispositivo virtual responde à operação Get Information.


Figura 16: Operação Get Information do passo de comutador IVI: modo Switch Executive


Os desenvolvedores de teste podem especificar as mesmas propriedades de passo disponíveis nos outros tipos de passo existentes (por exemplo, Preconditions, Looping, etc.).  

Nota: Você não pode utilizar uma propriedade de comutação com o passo de comutador IVI

Além disso, o passo de comutador IVI tem a vantagem de se autodocumentar; dessa forma os usuários podem determinar rapidamente se uma determinada sequência de teste envolve comutação.  Entretanto, é melhor usar uma propriedade de comutação, de forma geral, que o passo de comutador IVI.  Use as práticas de documentação discutidas na seção anterior para criar sequências de teste facilmente compreensíveis quando utilizar uma propriedade de comutação.

A principal desvantagem das opções do Switch Executive no TestStand (propriedade de comutação e passo de comutador IVI) é que você não tem acesso total ao Switch Executive API (como a capacidade de importar/exportar programaticamente configurações do Switch Executive e gerar relatórios XML).  Para desenvolver sequências de teste com máxima facilidade de customização e expansão, utilize módulos de código que façam chamados ao Switch Executive API.

Passo de comutador IVI: modo IVI Switching

O passo de comutador IVI no modo IVI Switching oferece acesso às operações básicas oferecidas pelo driver IVI Switch Class.  Veja mais informações sobre as funções disponíveis com o passo de comutador IVI no modo IVI Switching em:

NI TestStand 4.2 Help: Edit IVI Switch Step Dialog Box - IVI Switching Mode

O modo IVI Switching do passo de comutador IVI tem suas desvantagens.  Se sua aplicação empresa vários comutadores, você precisa utilizar um único passo para cada módulo de comutação.  Assim, você não pode usar esse método para criar rotas completas que passam por vários comutadores.  Além disso, criar uma configuração de comutação requer o uso de vários passos.  Em geral, o controle de comutadores a partir de módulos de código ou das opções do Switch Executive é preferencial ao uso do passo de comutador IVI: modo IVI Switching. 

Nota: Os handles de instrumento criados pelos passos de comutador IVI do TestStand não podem ser utilizados em módulos de código executados em seus respectivos ambientes de desenvolvimento. O handle baseado em C somente pode ser usado dentro do processo do TestStand. Se sua sequência de teste incluir módulos de código que chamem a classe IVI e VIs ou funções de drivers específicos, a NI não recomenda utilizar os tipos de passo IVI do TestStand.

Recursos adicionais

Tutorial do Developer Zone: What Is NI Switch Executive?
Guia de primeiros passos com o Switch Executive
Como acelerar o desenvolvimento e simplificar a manutenção com o Switch Executive
Vídeos de primeiros passos com o TestStand
Manual de referência do TestStand

Was this information helpful?

Yes

No