A partir das 6:00 PM CST Friday, Feb 15th - 2:00 AM CST Sunday, Feb 17th,o ni.com passará por manutenção e atualizações do sistema.

Pode ser que você tenha interrupções temporárias do serviço durante esse período. Pedimos desculpas por qualquer inconveniente que isso possa causar.

Gestão de substâncias críticas

A NI tem o compromisso de produzir produtos ecologicamente corretos e cumpre todas as leis ambientais e de responsabilidade relativas à cadeia de fornecimento..

Conformidade com as normas RoHS

A Diretiva da União Europeia sobre a Restrição do Uso de Determinadas Substâncias Perigosas (RoHS) (2011/65/UE) limita o uso de substâncias nocivas em produtos, como chumbo, mercúrio e cádmio. Ela se aplica a 11 categorias de equipamentos elétricos e eletrônicos. Os produtos da NI se enquadram nos Instrumentos de Controle e Monitoramento Industriais da Categoria 9, que entraram no escopo em 22 de julho de 2017, e A NI está em total conformidade com a Diretiva RoHS.

 

A Diretiva (2015/863/UE) alterou o anexo II da Diretiva RoHS da União Europeia (2011/65/UE) para adicionar quatro ftalatos à lista de substâncias restritas. Isso exige que cada substância homogênea em uma parte contenha um nível de concentração máxima inferior a 0,1% em peso de bis (2-etilhexil) ftalato (DEHP), butil benzil ftalato (BBP), ftalato de dibutilo (DBP) e ftalato de diisobutilo (DIBP).

 

Os produtos da Categoria 9, os Instrumentos de Controle e Monitoramento Industriais, recebem um período de carência até 22 de julho de 2021. Então, a maioria dos produtos da NI está fora do escopo da Diretiva RoHS (2015/863 / EU) até essa data. Atualmente, a NI está pesquisando sua cadeia de fornecimento para determinar a presença das quatro novas substâncias em seus produtos. Até 2019, planejamos poder certificar a conformidade da maioria de nossos produtos com a Diretiva RoHS e o Anexo II.

Desafios

Além do impacto de longo alcance na cadeia de fornecimento, a NI enfrenta os seguintes desafios no processo de eliminação de substâncias perigosas de seus produtos:

  • Organizações como a Agência de Proteção Ambiental (EPA) descobriram que as opções de substituição de certas substâncias nocivas podem ter um impacto ambiental igual ou pior do que a substância perigosa original. Para mitigar esse problema, a NI está ativamente envolvida com inúmeras organizações comerciais em todo o mundo. Através do seu envolvimento com essas organizações e estreitas relações com os fornecedores, a NI continua na vanguarda dos desenvolvimentos tecnológicos avançados de materiais e da conformidade com as regulamentações globais de substâncias perigosas.
  • As regulamentações nessa área evoluem rapidamente. A NI é membro da Coalizão de Teste e Medição e trabalha por meio desta organização para aprimorar a legislação.

 

Veja o texto completo da Diretiva RoHS. Para obter mais informações sobre a conformidade da NI com o RoHS, entre em contato pelo e-mail rohs@ni.com.

Recursos

REACH (registro, avaliação, autorização e restrição de produtos químicos)

Em 2006, o Conselho e o Parlamento Europeu adotaram o Regulamento (CE) n.º 1907/2006 relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição de substâncias químicas (REACH). Um dos objetivos do regulamento é proteger o meio ambiente contra substâncias nocivas.

Objetivos do REACH

Em conformidade com o REACH, os fabricantes e importadores de produtos químicos são obrigados a registar essa informação em uma base de dados central. O REACH também dá à indústria a responsabilidade de gerenciar os riscos de produtos químicos e fornecer informações de segurança sobre as substâncias aos usuários da cadeia de fornecimento.

 

Os produtores de artigos devem notificar os seus clientes sobre todas as substâncias que suscitam elevada preocupação (SVHC) em volumes maiores do que 1 tonelada ao ano, em concentrações acima de 0,1% do peso do produto e das quais a exposição não pode ser excluída. Em conformidade com o REACH, as empresas que utilizam produtos químicos direcionados em qualquer produto terão que solicitar uma autorização específica e fornecer justificativa para o uso da substância. A identificação de uma substância como SVHC e a sua inclusão na Lista de Candidatos pode desencadear certas obrigações legais para os importadores, produtores e fornecedores de artigos que contenham essa substância.

Obrigações e posição da NI

Como um fabricante e fornecedor global, a NI revisa constantemente a legislação internacional existente e futura. A NI também permanece informada sobre as exigências globais por meio de associação e envolvimento com organizações reconhecidas, como a EPPA e organismos de normalização, como o IEC.

 

Como fabricante de equipamentos de teste e medição na União Europeia, a National Instruments não produz ou importa substâncias químicas que excedam 1 tonelada ao ano. Todos os materiais adquiridos para uso em nossas instalações de fabricação na UE, como solda, são adquiridos dentro da UE e estão em conformidade com as exigências atuais de registro. Além disso, os produtos da NI não liberam substâncias no meio ambiente em condições de uso normais e previsíveis.

 

Todos os produtos da NI, incluindo acessórios e embalagens, são considerados "artigos" no âmbito do REACH. A NI confirma, com base em informações coletadas na cadeia de fornecimento, que seus produtos de instrumentos eletrônicos não contêm nenhuma das substâncias identificadas como SVHC, acima de uma concentração de 0,1% do peso do produto, além daquelas que constam na Lista de Produtos SVHC da NI. A NI revê regularmente a Lista de Candidatos publicada pela ECHA e responde a quaisquer SVHCs encontradas em seus produtos. Além disso, a NI recebe informações da cadeia de fornecimento e fornecerá informações atualizadas aos clientes sobre quaisquer alterações necessárias para o uso seguro e continuado dos produtos. Para apoiar os objetivos do REACH, a NI fornece informações apropriadas sobre o uso de substâncias para seus fornecedores de materiais. Os fornecedores de um artigo devem, sob certas condições, comunicar informações na cadeia de suprimentos. Essas informações podem ajudar nossos fornecedores a registrar corretamente nosso caso de uso de substância, caso precisem se registrar de acordo com os requisitos do REACH.

 

Para informações específicas sobre o produto relacionadas ao REACH, entre em contato pelo e-mail reach@ni.com.

Lei de comércio de minerais de conflito

Em 2010, os Estados Unidos aprovaram a Seção 1502 da Lei de Reforma e Proteção ao Consumidor de Dodd-Frank Wall Street para tratar de preocupações humanitárias na República Democrática do Congo (RDC). As preocupações derivam de quatro minerais das minas controladas por rebeldes na região da RDC: ouro, tântalo, estanho e tungstênio. A lei e as regras subsequentes da Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA exige que as empresas de capital aberto divulguem as seguintes informações a partir do ano fiscal de 2013:

  • Quais produtos requerem os quatro minerais para funcionalidade ou fabricação
  • A presença de qualquer um dos quatro minerais que se originam de fontes de conflito
  • Os esforços feitos para determinar a origem dos minerais utilizados nos produtos

 

A NI tem uma política de abastecimento responsável para evitar a compra de componentes que contenham minerais obtidos em fontes de conflito. Adiante, a NI avaliará todos os seus novos fornecedores com relação à capacidade de fornecerem dados confiáveis ​​sobre o país de origem de minerais de conflito. Caso sejam encontrados minerais de fontes de conflito na cadeia de fornecimento da NI, serão tomadas ações apropriadas em tempo hábil para resolver a situação. A NI espera que seus fornecedores reajam de maneira semelhante e que tenham comunicado essa política a todos os fornecedores.

 

Para mais informações sobre a conformidade da NI com a Lei de Minerais de Conflito, entre contato pelo e-mail customer.requests@ni.com. Baixe a última versão do modelo de relatório de Minerais de Conflito.